Categoria: Dicas


sapato certo para tornozelo fino

Oi pessoal, principalmente as Divas. Algumas semanas atrás nós começamos uma série sobre o estilo de sapato, as mulheres com pernas mais grossas, mais curtas devem escolher seus sapatos, dependendo da forma de sua perna. Hoje eu vou passar para as mulheres com tornozelos magros e eu falo sobre aqueles com pernas longas e curtas, como quase sempre sofrem do mesmo problema – TORNOZELOS FINOS.

SANDÁLIAS com pulseira de tornozelos


Torná-las suas amigos de closet, elas são muito versáteis e assim você pode usá-las com absolutamente qualquer roupa. Porque envolvem em torno de seus tornozelos e assim tendem a adicionar algum volume às pernas e lhes dão mais definição.

Os não
Plataformas, cunhas e sapatos volumosos
Eles são tão bonitos, sim, eu sei, mas eles não foram feitos para tornozelos magros. Eles fazem você parecer que os sapatos estão usando você como eles são pesados na parte inferior.

Elas têm um efeito “engorda” em seus tornozelos e chamam a atenção para seus pés.

Os não – NUNCA USAR – Plataformas e sapatos volumosos.


Eles são tão bonitos, sim, eu sei, mas eles não foram feitos para tornozelos magros. Eles fazem você parecer que os sapatos estão usando você como eles são pesados na parte inferior. E você fica com jeito de boneca quebrável… Completamente deselegante. EVITE AO MÁXIMO!

Se você tem que usar ALTOS E COM MAIS CONFORTO, estes abaixo seria mais “possíveis”. Eles não têm plataformas na frente elevando assim apenas os seus calcanhares e dando definição muscular para suas panturrilhas.

SAPATO CERTO PARA CADA TIPO DE PERNA – perna grossa

Assim como nossos corpos, nossas pernas vêm em diferentes formas e tamanhos. Seja longa, curta, grossa ou fina, não importa, o que importa é encontrar o par certo de sapatos para atender às qualidade de suas pernas. Porque se uma Miss X aparece como uma vencedora naquele lindo par descarpin não garante que você também ficará linda com um igual a ele. Assim como sabemos que nossas formas de corpo, precisamos saber o tipo / forma de pernas temos de olhar o nosso melhor e o que os sapatos podem contribuir. Nem todos os sapatos se adequam a todas as mulheres.
Em nossa série de “sapato styling”, estaremos compartilhando dicas e truques sobre – qual o melhor estilo de seus sapatos para atender a sua forma de corpo, com foco em suas pernas e pés e como ficar sobre os saltos com confiança, conforto e estilo.
Os fins de semana estão aumentando o tempo para a maioria de nós. Das noites das meninas fora aos casamentos, datas de sair se somam com amizades, trabalho etc. Assim, vamos lhe fornecer caminho para ficar bem bonita sempre e relaxar. Queremos garantir que você apareça 100% bem.
Vamos dividir as diferentes formas de pernas em 4 categorias -
A· Pernas curtas e grossas
B· Pernas curtas e finas
C· Pernas longas e finas
D· Pernas longas e musculosas
Hoje vamos começar com a perna mais grossa e mais curta.
Pernas curtas, panturrilhas grossas e mais frequentemente tornozelos grossos também.
Mas se você acertar, essas pernas podem parecer longas e magras.
Muitas mulheres que estão sob esta categoria são muitas vezes pesadas.
Conselhos de estilo? Saltos simples e mais grossos!
Peep toe anabelas, abertos anabelas, sandálias de salto, de fato as sandálias são algumas das suas escolhas melhor armário. Elas não acrescentam muito drama a seus pés e dão uma ilusão de comprimento total e alongamento deixando você parecendo elegante sem esforço e chique.

Os saltos altos “aerodinamizam” os pés e fazem com que os tornozelos pareçam mais magros e as pernas mais magras.

Pernas curtas e grossas

Calçados de plataforma são fáceis de usar e em seus pés vão fazer suas pernas aumentarem em mais comprimento.

Você precisa evitar sandálias de com pulseiras de tornozelo, pois elas tendem a “cortar suas pernas” já curtas em 2, tornando assim um visual mais curto e largo.

Tornozelo com pulseiras como estas são um grande não, não!

Para o equilíbrio, dizemos sim a plataformas, sandálias e mules. Evite saltos lápis, nada fino abaixo dos calcanhares, dê preferência para  saltos cone ou saltos de bloco, com eles cria-se a aparência de melhor equilíbrio.

Calcanhares médios e sapatos baixos são presumidos não ser tão lisonjeiro para a senhora de pernas curtas. Errado! Usá-los com vestidos ou saias que caem logo acima de seus joelhos para dar a ilusão de comprimento.


Uma grande combinação com sapatos e vestido mantendo uma estrutura.

Fique longe de gladiadoras ou qualquer estilo de sapato que envolve seu tornozelo, você realmente não quer nada na linha de visão entre o calcanhar e o resto de sua perna.

Detalhes ao redor do dedo do pé não!!!
Cores fortes com enfeites pesados não são para você. Se você gosta de um pouco de drama com seus sapatos procure os que tenham os detalhes de preferência em torno dos dedos do pé, deixando a parte superior limpa. Você pode brincar com cores, mas mantê-los sutis.

Com estas dicas, nós esperamos que você tenha uma compra mais fácil de calçados, cuide para que sua perna alongue e que o salto não pareça que vai quebrar. Fique elegante e única. Pode compartilhar e dar sugestões ou fazer perguntas nos comentários, caso precise.
Até a próxima.

Nude total

Eles não fazem muito para lisonjear as pernas e por isso são especiais e básicos, alongando a perna apenas e combinando especialmente com tudo. A única coisa a prestar atenção nessa tendência é usar um tom ou dois mais escuro, mais baixo do que o seu tom de pele real. Nudes são perfeitos para aqueles que querem alongar as pernas. Então, por exemplo, para usar um par de Christian Louboutin New Nudes, escolha uma sombra mais clara ou mais escura do que o seu tom de pele real para manter um contraste que irá definir seus tornozelos.
Essas dicas e orientações são para levá-la na direção certa quando você está comprando sapatos, especialmente se você não tem horas a fio para experimentar muitos pares de sapatos de cada vez ou se você está comprando online. O importante é comprar certo.

2016 com construções absurdas

Volta a ousadia e alguns lançam os sapatos que chamam futuristas – Como Pucci acima.
2014 e 2015, os spikes tomaram tanto lugar que os hospitais reclamaram de tantas “costuras de tornozelos” – Bem comum ver mulheres elegantes andando de forma ridícula e de pernas abertas – É certo que as perolas parecem menos inofensivas, mas os pés, de fato ficarão distantes.

Prada apostou na bola na frente e veio o já conhecido salto carretel – de roupa nova

Lanvin vem  mais simples

Valentino nos parece suave, embora em estilo “medievo”

Proenza Schouler - certamente quem cria essas peças se certifica que não usará uma – essa fivela/argola, depois de 10 minutos nos pés e com pequeno andar, cortará a pele certamente – bonito é!

Loewe lembra o Lanvin – e parece que ajudará no andar – esse, é preciso experimentar para dizer…

Maison Margiela – Trás uma abordagem “excess” – Vale a pena ver o desfile

Qual é o sapato neutro?

O tal vestidinho “sequinho preto” ser um básico de moda é fato!!!
Com ele você pode ir a qualquer evento – desde um simples até um mais sofisticado – dependerá de como arrumará seu cabelo, sua maquiagem e os acessórios, incluindo o sapato. Com o “pretinho básico”,  pode ser usado sim com um sapato preto…. Ou não!!!

Mas dai o sapato preto ser o que combina com tudo é uma inverdade completa – sapato preto só pode ser usado com roupa preta ou tons escuros – Cor combina com cor, ou então, com o BÁSICO DE VERDADE – o cor da pele - Nude, Beije, chocolate (para peles chocolate)… Enfim, da cor da pele é básico e combina com tudo mesmo!!!



Em algumas circunstâncias, o sapato bicolor com nude cria um charme extraordinário e fica muito chic…

Qual a cor certa do sapato de noiva?

Branco!!
Sim, branco mas pode também ser outra cor… Pode ser rosa claro, bege e até colorido…

Mas lembre, se quiser um “sapatão” – poderoso, grande, pesado… certifique-se que não haverá dança em seu casamento, ou adquira um para uma parte do evento e outro para outra… Nada contra chinelinhos de final de festa… nem sapatilhas, mas noiva arrastando o vestido – É feio e deselegante!!!


sapatos de dança

Quem tem mais de 50 anos ou…
Costuma viajar a Buenos Aires e/ou Paris, já viu mulheres incríveis dançando e viram seus sapatos de dança, já devem ter comprado um,  se é que gosta de dançar e ter o prazer da dança.

Um sapato de dança precisa ser firme e ter a parte de trás forte com uma pulseirinha no tornozelo, sendo aberto nos dois lados do pé, para dar a flexibilidade e a mobilidade nos passos da dança.

Sandálias lindas de Giuseppe Zanotti

Olá minhas senhoras se vocês adoram glamour e ocasiões especiais, do tipo… tapetes vermelhos e este tipo de celebrações, provavelmente, você precisa de alguns sapatos novos para essas ocasiões… Modernos e elegantes. Temos levantado alguns modelos glamourosas de calçados do famoso designer Giuseppe Zanotti.
Como o designer dizer: “Onde olhares inesquecíveis reúnem ícones de qualidade italiana fazem inigualáveis sapatos.
Sapatas verdadeiramente originais que irão atender às suas paixões e seu olhar ficará fascinado. Aprecie!

SPFW – quarto dia – Desfiles

Giuliana Romanno

Lino Villaventura
Lino Villaventura está de volta e os fashionistas que acham a vida mais divertida com uma boa dose de drama e fantasia agradecem. Depois de duas temporadas mais contida, a veia performática teatral do estilista volta a pulsar, justamente no ano de comemoração de duas décadas de São Paulo Fashion Week. Para celebrar tantos desfiles no evento, Lino acrescentou ao seu verão 2016 vestidos e acessórios marcantes de coleções passadas, a começar pelo look que abre o show, do verão de 1997, usado por Marina Dias naquela época e nesta quinta, com direito a olho branco de lentes de contato e caminhar performático.

Com teto altíssimo e uma escadaria gigante que os modelos desciam para entrar na passarela, o Museu Afro Brasil serviu com perfeição como cenário para a teatralidade das roupas e atitude da marca. “É um jogo de cena”, resume o estilista, que diz não se inspirar em nada em especial para este verão. “Vou fazendo o que gosto.” Mesclada a acessórios como sapatos masculinos do desfile de 1996 e a impressionante cabeça feita com uma cobra naja de verdade, bordada com cristais e com o corpo descendo pelas costas da modelo (apresentação de 2005), a coleção reafirma a personalidade excêntrica sedutora da moda de Lino. As nervuras, os bordados, o caimento assimétrico com bicos e a fluidez remetem ao exotismo de culturas distantes, desconhecidas, talvez até fictícias, como numa fábula estranhamente magnética. À dramaticidade da imagem e da performance é agregado o know how artesanal e técnico do designer, com peças muito bem acabadas, bordados delicados como os filigranas de cristais, os devorês nas gazes e as aplicações sobre o tule de seda. Destaque para a trilha sonora de Felipe Venâncio, que deu o clima de viagem exótica e misteriosa à apresentação, com atrações que incluíram atores na passarela, como Reynaldo Gianecchini, cobras empalhadas e modelos de olhos vermelhos e brancos. (CAROLINA VASONE)

Patricia Viera
É sempre impressionante ver como Patricia Viera consegue transformar o couro no material que ela quiser. Muitas vezes é preciso tocar na peça para descobrir que não se trata de algodão ou linho, por exemplo, caso do vestido floral que abriu o desfile, leve, todo pintado à mão por Kláucia Badaró com flores vermelhas e toques de azul e verde no fundo branco. A artista assinou todas as estampas artesanais do verão 2016 de Patricia, inspirado na Costa Rica.

Graças à técnica de metamorfose do couro, o mood veranil central-americano pôde ser traduzido com frescor numa coleção que trouxe as paisagens do país no conjunto de saia godê e top cropped de fundo branco, as flores em tom quente da primeira série da apresentação, os tons terrosos naturais e os mosaicos locais representados por aplicações de espelhos ora em formato de flor, como no vestido vermelho mídi justo de alça, ora em pequenas bolinhas, caso do vestido amarelo queimado de alça, cintura marcada e saia evasê na altura da canela.

Nesta estação, a estilista traz ainda duas novidades: o lançamento de bodies recortados a laser, com franjas e efeito macramê e a estreia de uma coleção-cápsula infantil para meninas de 1 a 6 anos. Tudo feito em couro também, claro. (CAROLINA VASONE)

Lenny Niemeyer
Nesta estação, ela olha para os clássicos bailes de carnaval, com sua inocência e seu glamour. O desfile é dividido em cinco momentos: Marinheiro, com listras branco e marinho e referências às redes; Malandro, em que aparece a alfaiataria; Pierrô, com as peças mais usáveis – e desejáveis – da coleção (lindas batas de algodão texturizado); Carmen, em versão preto e branco com alguns detalhes de flores e um bom trabalho com babados plissados; e por fim, chega a quarta-feira de Cinzas, com texturas que remetem ao Carnaval, como serpentina, que vemos nos looks de “penas” cortadas a laser e na organza com tiras de paetê floral. Contemporâneo e de gosto refinadíssimo, assim como a estilista. Abram alas para o Bloco de Lenny. (CAMILA YAHN)

Acquastudio

GIG Couture
Quando o tricô ganha design de moda, a técnica é elevada a um patamar fashion irresistível. Vira um misto de experiência tátil de textura com o shape que tem conforto e ao mesmo tempo caimento com desenho contemporâneo e sacadas de estilo. Este é o caso do verão 2016 da GIG. A estilista Gina Guerra foi buscar nos tons pastel das pinturas e na arquitetura art noveau de Mackintosh, respectivamente, a cartela de cores e as estampas, que incluem efeito tridimensional graças aos volumes criados no próprio jacquard feito no tricô.

Os anos 50 aparecem em vestidos em tom de azul e rosa bebê e no verde clarinho, com cintura marca e saia godê na canela, atualizados pelo aspecto moderno de textura do tricô. No restante do verão, a referência são os anos 60. Destaque para engenhosas sobressaias que fazem as vezes de cauda de vestidos mais ajustados, como o rosa bebê com manga curta triangular que abre o desfile. A manga triangular, curta ou um pouco mais proeminente, tipo sino, também aparece bastante na coleção da grife. Os conjuntos de pantalonas curtas com top combinando aparecem tanto em versões de tons suaves como em cores mais fortes, como o verde menta com o marrom. A alternância entre a fase pastel e a de tons marcantes também garante um interessante equilíbrio à coleção, que oferece romantismo do mais açucarado ao geométrico, graças tanto às estampas quanto ao shape triangular dos tops e recortado das barras das saias. (CAROLINA VASONE)

Têca por Helô Rocha
Para comemorar seus 10 anos de vida, a Têca mostra que está mais forte do que nunca. Helô Rocha apresentou uma coleção impacto. É uma daquelas coleções que não ficam no meio do caminho. À começar pela inspiração poderosa que aborda o universo dos orixás e do candomblé.

Em vez de editar o desfile de forma crescente, ela faz o oposto e já inicia com força na série de vestidos fluídos em preto e vermelho de renda, babados e bordados.

Ao longo da apresentação, looks básicos misturavam-se a momentos mais carregados com franjas, pedrarias, conchas, pérolas, rendas, bordados, às vezes tudo em um mesmo look. E a sensação é a de que não poderia ser diferente. Helô e o stylist Dani Ueda criam imagens fortes, poderosas e sensuais. Sabe uma mulher que a gente evita olhar no olho? Que encanta e amedronta ao mesmo tempo? Haviam algumas delas no desfile.

A renda branca, tão característica da Bahia, aparece lindamente em vestidos fluídos e leves, dividindo espaço com outros materiais, como nos últimos quatro looks, que fecham o desfile.

Recentemente, Helô mudou radicalmente a cor de seu cabelo, outro gesto que revela coragem e ousadia. Como qualquer profissional, ela não quer passar batido. O ponto é o quanto consegue impactar e manter a chama acesa em meio a outros 39 desfiles e centenas de outras distrações. Helô enfiou os dois pés na porta. Que venham os próximos 10 anos para a Têca. (CAMILA YAHN)

Iódice
Vida longa a Simone Nunes no estilo da Iódice. Parte da ótima safra de designers descobertos no Hot Spot em meados da primeira década dos anos 2000 – da mesma época da Neon e da Amapô –, a estilista foi aposta certeira de Waldemar Iódice, que assina com ela a coleção de passarela da marca.

Em sua segunda temporada na marca, Simone imprime sua personalidade com delicadeza. Esta é, aliás, a marca-registrada de seu trabalho. Assim, a leitura que a dupla fez do Nordeste, embalada ao som de Caetano Veloso, mostrou um verão 2016 suave nas cores puxadas para tons terrosos, do rosa antigo ao amarelo queimado (dendê), o verde e o tijolo, com estampas que remetiam aos florais de chita numa versão esmaecida, com sacadas de design apuradas como os tops com amarrações no peito, remetendo às amarrações de lenços usados na cabeça para carregar água ou pelas baianas típicas, no detalhe da manga do casaco com estampa floral rosa claro e verde, na bela pantalona de linho rústico e cintura alta, com amarração.

A série de camisas florais com leve transparência merece destaque, assim como as saias de tecido rústico e os vestidos de renda com forro prateado. (CAROLINA VASONE)

Samuel Cirnansck
Lustres gigantes reproduziam um cenário clássico do cinema mundial: o salão de baile do hotel do filme “O Iluminado” (1980), de Stanley Kubrick. A referência vem da festa fantasma que o personagem de Jack Nicholson vê numa das cenas, e que teria acontecido nos anos 20, época na qual o estilista se inspira para criar sua coleção do verão 2016 e comemorativa de seus 15 anos de carreira.

Especialista em criar vestidos de divas, é a série que cumpre o prometido numa versão mais realista o grande destaque da coleção. Ela se concentra na primeira parte do desfile, com os melhores e mais sexy vestidos pretos, colados no corpo, delineando a silhueta, um com detalhe de lapela de smoking, outro com franjas de canutilhos presas e recortes com anquinhas de corset. O tubinho pretinho básico em jacquard também funciona muito bem, assim como o vestido todo bordado preto e verde com transparência, mídi e perto do corpo. (CAROLINA VASONE)

Fonte: FFW.COM.BR